TRABALHANDO COM PROJETOS DE PESQUISA:

EMPRESAS TRANSNASCIONAIS NO BRASIL

 

É necessário perguntar, buscar respostas, questionar, classificar, analisar, comparar, relacionar os dados observados e discuti-los até se chegar à síntese sobre a questão mundo. A apreensão do conhecimento geográfico ocorre através da reelaboração de noção e conceitos de relações sociais, de espaço e tempo, e da produção das necessidades de transformação do meio. O educador, articulando conteúdos de aprendizagem e noções, facilitará ao educando uma apreensão mais global da organização do espaço e a aquisição de conceitos fundamentais da geografia, enquanto área do conhecimento. Inicia-se, então, a sistematização das noções referentes à localização a análise crítica desta e à representação espacial.

 

“Na 7ª série, o estudo se faz a partir da divisão do espaço mundial em dois principais conjuntos político-sociais e econômicos: os países desenvolvidos e industrializados e os países subdesenvolvidos ou periféricos. Para entendermos essa divisão do mundo, a abordagem se faz a partir da forma como as sociedades contemporâneas se apropriam da natureza (como constroem o seu espaço) e das relações de dominação e dependência que fizemos com que os países passassem a ocupar e desempenhar novos papéis frente à divisão internacional do trabalho”.(PROJETO PEDAGÓGICO - ULBRA, 2000, p. 81)

 

 

O uso de recursos audiovisuais só tem uma função social relacionada à educação quando está vinculada a um projeto educacional que norteia os procedimentos educacionais.

 

Cada vez mais, a internet se torna uma ferramenta de trabalho poderosa. A internet é o maior centro de informações de acesso público do mundo e potencialmente o maior canal de comunicação on-line. O crescimento da internet está fora de qualquer limite de alcance, assim como a variedade e formato de serviços oferecidos pela rede.

 

Esta ferramenta possibilitou comparar e investigar leituras de mapas, a pesquisa sobre o histórico do produto, a troca de e-mails pelos educandos nos sites das empresas e por fim na construção da página pessoal referente ao projeto.

 

O endereço da página: projetos.educacional.com.Br/3854.

 

“Se nossos alunos puderem ter na geografia um instrumento útil de leitura do mundo, estaremos ajudando a construir não só uma escola como uma sociedade mais crítica e indignada contra toda e qualquer miséria humana.” (KAERCHER, 2001, p. 16)

 

O assunto "Globalização" tem estado em muitas discussões em sala de aula. Nossos educandos recebem bombardeios de produtos de empresas multinacionais. É com este objetivo que os educandos da 7ª ´Série do Ensino Fundamental da Unidade de Ensino São João - ULBRA efetuaram um projeto que  visou conhecer a história destas empresas Transnacionais ou  multinacionais que são encontradas no Brasil.

Identificar produtos que consomem e buscar uma compreensão de questionamentos que nos levam a pensar! "Quantas marcas se tornaram íntimas dos brasileiros a ponto de serem consideradas coisas da gente?" 

“Trabalhando sempre com a origem, a ocupação e a organização dos espaços, nesta série o estudo se debruça sobre a regionalização do espaço mundial. Devido às mudanças que ocorrem a todo momento, reordenando o espaço mundial, propomos  que o estudo seja feito abordando os aspectos da natureza, da cultura da política e da economia”. (PROJETO PEDAGÓGICO - ULBRA, 2000, p. 81)

 

A escolha do tema deveria culminar com o conteúdo de 7ª série sobre o continente americano. Desenvolvemos esta unidade com este projeto de pesquisa fomentando assim, as leituras e confecções de mapas, bem como discussão crítica sobre o consumo e meio ambiente.

Os educandos pesquisaram marcas de Empresas Transnacionais que se instalaram no Brasil, buscando principalmente produtos consumidos pelos próprios educandos, bem como a compreender o que poderia acontecer a uma cidade que se candidatasse a abrigar uma grande indústria. Paralelamente, seriam concedidos incentivos e isenções fiscais (redução nos impostos) e realizados investimentos em infra-estrutura: o terreno passaria a ter água e esgoto, luz elétrica, cabos telefônicos e ligações com estradas que passam pelo município. 

Desta forma trabalhamos questões que levassem aos educandos a perceber o nosso cotidiano sendo determinado por produtos promovidos pelos diversos agentes sociais no espaço geográfico, o papel da infra-estrutura para a instalação das indústrias.

“O papel da geografia não pode ser só da denúncia, óbvio! Mas ela deve ser feita para que não corramos o riso de passarmos aos nossos alunos um mundo sem conflitos, irreal, estático que não corresponde à realidade, embora, é provável, até seja a vontade da maioria de nós que vivamos num mundo pacífico e ordeiro.” (KAERCHER, 2001, p. 54)

 

 

Este foi um projeto interdisciplinar, onde a Geografia buscou o estudo do lugar, com leitura de mapas e sensibilização para que o educando conheça o produto que esta consumindo. O recurso utilizado foi a internet, onde os educandos buscaram a localização dos países sede de cada empresa fabricante do produto escolhido. Como parte do trabalho houve troca de e-mails com as empresas referentes ao produto escolhido.

 

A língua Portuguesa trabalhou um texto de Carlos Drummond de Andrade, Eu, Etiqueta, onde aborda o consumo e a propaganda.  Os educandos, após a leitura em forma de seminário, fizeram uma releitura do texto contextualizando o projeto de pesquisa.

 

Após várias discussões os educandos confeccionaram juntamente com a disciplina de Língua Portuguesa um artigo, enfocado o Meio Ambiente. Para eles as empresas aqui instaladas modificaram o lugar e a cultura do país. 

 

       

          Estas atividades desenvolvidas foram bastante importantes não somente porque exige certa autonomia do educando como também fornece a ele uma visão mais ampla dos produtos que consomem. Assim a geografia trabalha também valores referentes a questão do consumo. 

 

Durante a apresentação dos resultados em sala de aula, é fundamental que os educandos tenham também a oportunidade de comentar como foi realizada esta experiência de pesquisa (o intercâmbio, e-mails), trocando impressões entre si.

 

A escolha dos produtos pelos educandos objetivou o conhecimento da origem do país, o lugar, fornecendo a leitura do espaço americano. Assim o educando terá condições de conhecer a origem do produto consumido por ele.

 

“A Geografia é uma ciência social. Ao ser estudada, tem de considerar o aluno e a sociedade em que vive. Não pode ser uma coisa alheia, distante, desligada da realidade. Não pode ser um amontoado de assuntos, ou lugares (partes do espaço), onde os temas são soltos, sempre defasados ou de difícil (e muitas vezes inacessível) compreensão pelos alunos. Não pode ser feita apenas de descrição de lugares distantes ou de fragmentos do espaço”. (CASTROGIOVANNI, 2001, p. 57-58)

 

As práticas realizadas através das oficinas propiciaram o desenvolvimento de uma nova postura diante dos inúmeros desafios enfrentados pelos educandos no seu dia-a-dia. Este é de fato um exemplo de trabalho de pesquisa onde buscou-se questões que norteassem o tema “Empresas Transnacionais no Brasil”, de forma que os educandos pudessem usar a ferramenta internet sem aquelas cópias tão conhecidas por nós educadores.

 

“Tomando como ponto de referência o conhecimento que o educando possui, adquirido através de sua prática social, o educador desenvolverá os marcos de aprendizagem propostos, criando situações para que, através da observação e do questionamento da realidade, o educando dialogue com o educador e os colegas sobre os elementos naturais e culturais do espaço geográfico.” (PROJETO PEDAGÓGICO - ULBRA, 2000, p. 79) 

 

 

Segundo Castrogiovanni (2000) “o processo de aprendizagem deve possibilitar que o aluno construa não apenas conceitos e categorias já elaboradas socialmente, mas que (re) signifique tais instrumentais a partir da compreensão do particular, do poder ser diferente nas interpretações e mesmo assim fazer parte do contexto”.

 

 

CONCEITOS EXPLORADOS:

 

q       Globalização: através da pesquisa o educando contatará com empresas internacionais (norte-americanas) que se estabeleceram no Brasil, percebendo a influência das mesmas na economia brasileira e a submissão do país à economia globalizada;

 

q       Geografia Cultural: o educando perceberá através da pesquisa a homogeneização cultural e a mundialização dos produtos pesquisados, que invadiram e modificaram hábitos locais;

 

q       Lugar: os produtos trazidos e pesquisados pelos educandos mostrarão a significação dos lugares que representam e a interferência destes nas relações humanas do seu lugar vivido;

 

q       Sistemas de Redes: através da troca de ambiência ao relacionarem os produtos e os costumes de cada família, perceberão a massificação cultural a que o país foi submetido a partir das transnacionais, bem como a exclusão de uma grande parcela que não tendo acesso a esses produtos ficam à margem da Globalização.

 

 


Página criada por MARIA IZABEL MINUSSI SCHONARDIE - Escola São João